Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Notebook

por Fernando Zocca, em 26.08.10

 

 

Para silenciar aqueles que diziam ser ele ladravaz, Jarbas o caquético testudo, chefe da seita maligna do pavão muito bem louco, (que matava caminhantes por atropelamento nas estradas) precisava fazer edificações.

 

Mas Tupinambicas das Linhas já mostrava saturamento de construções principalmente na área central, a região mais visível, mais notável e mais cara.

 

As investigações da polícia chegavam muito perto do patife e toda aquela ansiedade produzida pelos comentários efervescentes na população, levava-o, cada vez mais, a buscar nos projetos de engenharia, o escape emocional.

 

Mas, onde erguer mais um elefante-branco cristalizador das angústias de ladrão-assassino?

 

Vovó Bim Latem, a mocréia setuagenária, aposentada do serviço público há meio século, e aproveitada pelo prefeito meliante como chefe de gabinete, foi quem apresentou a sugestão, logo muito bem aceita. Naquela manhã fria de terça-feira, quase no final de junho, reunidos no gabinete, Bim Latem disse:

 

- Façamos um prédio no terreno hoje usado como estacionamento na câmara dos vereadores.

 

Jarbas, sem pestanejar respondeu:

 

- A resistência, se houver será vencida. Se eu conheço as figuras que ocupam aquelas cadeiras, balangandãs vistosos comprarão consciências. – E arregaçando as mangas da sua camisa branca, exclamou fechando o assunto:

 

- Deixa comigo!

 

Então vovó Bim Latem, tomada por um júbilo incontido e esfregando as mãos, pegou o telefone discando um número só conhecido por ela.

 

A amante do presidente da câmara

 

Lucila estava deitada assistindo TV. Ela comia bolachas recheadas e bebia café com leite, desconhecendo outro jeito melhor de passar o tempo. O soar da campainha daquele seu telefone antigo, assustou-a: “Quem poderia ser?”, pensou ela.

 

Levantando-se e ajeitando os óculos de aros pretos caminhou com os joelhos colados, atendeu ao telefone e alegrou-se ao ouvir a voz da sua amiga Bim Latem.

 

Seu cenho, porém, franziu quando ela ouviu instruções sobre o presidente da câmara de vereadores. Ela deveria sugerir ao amado que desse um agrado a todos os colegas componentes daquela legislatura.

 

Sem esboçar reação ou expressar dúvida Lucila, que atribuía sua felicidade amorosa aos bons fluídos e vibrações da colega Bim Latem, acatou logo a instigação.

 

O vereador Fuinha Bigoduda, quando chegou para jantar foi recebido com alegria e durante a refeição foi convencido a doar um Notebook moderníssimo a cada um dos vereadores de Tupinambicas das Linhas.

 

Na semana seguinte e com um calhamaço de quase quinhentas folhas, distribuído inclusive aos jornais e rádios da cidade, o Fuinha Bigoduda justificava seu ato de benevolência, amizade, necessidade e economia ao doar um computador portátil a cada um dos colegas camarários. Poderia existir gesto mais nobre e lindo que este?

 

A aprovação do projeto de doação do terreno

 

Na segunda-feira seguinte, numa reunião ordinária do plenário, foi posta em discussão o projeto de lei de autoria do líder da bancada do testudo. A norma aprovava a doação, pela câmara dos vereadores, de área do terreno usada como estacionamento pelos “representantes” do povo.

 

Os edis eufóricos com o brinquedo informático puderam narrar nele, a aprovação por unanimidade, do projeto proposto pelo líder da bancada do caquético.

  

Dois meses depois

 

No gabinete, Jarbas e Bim Latem comemoravam sorvendo laranjada (com adoçante, é claro) o encerramento das formalidades da tradição, ou seja, da passagem do domínio da propriedade do seu antigo dono para a atual proprietária, a prefeitura municipal de Tupinambicas das Linhas.

 
Bim Latem limpando a garganta com um pigarro disse eufórica:

  

- Passemos a fase seguinte, meu rei?

Jarbas incontido exclamou:

 

- Sim, minha lindinha! Vamos ao degrau de cima. À licitação! Vamos à licitação que preciso pagar logo aquele apartamento novo que comprei. Ninguém é de ferro, pô

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:33


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.







subscrever feeds