Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Frustrando Expectativas

por Fernando Zocca, em 22.05.12

 

 

De vigaristas vigarices e o mundo está cheio. Na verdade o que todo mundo quer é “vender o seu peixe”, e isso inclui balelas fabulosas.

Houve um tempo em que o ovo era considerado um dos maiores vilões, capazes de causar a obesidade e as consequentes doenças venosas e cardíacas.

Hoje em dia não se condena mais o uso dos ovos, mas o óleo ou a gordura com que ele é preparado.

Agora nos aparece a indústria farmacêutica ofertando hormônios para uma população de idosos cada vez mais numerosa.

Há opiniões de que os hormônios combinados com o tabaco produziriam o câncer, da mesma forma que o uso desses medicamentos poderia cancerizar tecidos, causar a calvície e acirrar o aparecimento de centenas de efeitos colaterais.

Na verdade a produção industrial, o consumo e a interferência nos hábitos da população, seriam os verdadeiros determinantes da “criação” de algumas doenças, seus prognósticos e terapêuticas.

Está certo não desejar ofender as pessoas falando só a verdade. Mas mentir descaradamente também não faz tanto bem. Ainda mais quando se usa a mentira para engambelar o povo, principalmente nas questões das finanças públicas.

Nesse sentido veja que não é incomum a criação de expectativas, com as suas decepções, previamente delineadas.

Quando um governo frustra as expectativas dos seus eleitores, geralmente ocorre a reciprocidade. Às vezes o eleitor devolve a decepção votando em outro.

Se o governante não cumpre o contrato com a população, esta pode até não cumprir com a sua parte, por exemplo, não pagando os impostos.

Mas cabe ao Poder Judiciário a decisão sobre as avenças frustras, desde que, é claro, estas lhes sejam levadas ao conhecimento.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:39






subscrever feeds