Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O pé do Filó

por Fernando Zocca, em 28.10.13

 

 

Você que está imenso, enorme, parecendo uma baleia, um hipopótamo ou aquela gigantesca rolha de poço e pretende fazer um regime esperto para juntar-se aos mais finos, coragem que com força de vontade e boa orientação não é difícil.

 

Você sofrerá um pouco mais, entretanto saiba que não é impossível emagrecer.

 

No meu caso, posso lhe dizer que era muito gordão. Há uns 20 anos atrás, por ser pilulólatra sedentário, acumulei tanta gordura que a proximidade dos 90 kg me assustou.

 

Diante daquela situação calamitosa eu tomei a decisão: pararia com os cigarros e com todos os comprimidos usados para todos os tipos de males.

 

Num dia qualquer amassei o maço cheio de cigarros e o joguei fora juntamente com aquela "farmácia" toda que eu mantinha.

 

Comecei caminhando em volta do quarteirão e fui expandindo o círculo até contornar grande parte da cidade, sem no entanto me incomodar com o sofrimento.

 

Depois de me sentir bem à vontade com as caminhadas, passei a correr por cinco minutos, aumentando sempre o tempo de duração da corrida, nunca a sua velocidade.

 

Depois de alguns meses correr 20 ou 30 minutos já não causavam tanto desconforto. Assim com o uso posterior da bicicleta cheguei aos incríveis 64 kg em pouco tempo.

 

O gordão deve saber que é exatamente o desconforto, as dores e os mal-estares, provocados pelo exercício físico, que reconduzem o organismo à normalidade.

 

O metabolismo se processa no sentido de recompor a situação de equilíbrio, seriamente abalada com o movimento.

 

O resultado é que depois de alguns meses você começa a perceber que está perdendo aquele excesso de peso.

 

Quando você estiver já próximo da normalidade convencionada para o seu biotipo, terá de enfrentar outra situação que independe do seu controle: é a inveja e o ódio da torcida que te deseja tudo de mal.

 

Assim aquelas figuras que estavam acostumadíssimas a vê-lo barrigudão, gorducho, pesado, lento, lerdo e mentalmente bastante lesado, se surpreenderão quando o virem assim alegre, livre, leve, solto e fagueiro.

 

As primeiras reações daqueles gorduchos que te conheciam serão de espanto, dúvida; não tardarão a aparecer as versões mais esdrúxulas que se pode imaginar, sobre o seu novo estado físico.

 

Os invejosos, isto é, aqueles impossibilitados de conseguir o que você conseguiu, dirão que está com AIDS, câncer ou que é pedófilo.

 

Os amargurados poderão criar armadilhas para depois perseguir impiedosamente as vítimas da inveja bobinha.

 

Não é raro que os tais tipos de personalidade confundam veterinário com bicheiro.  Vê se pode.

 

Pode-lhes ser difícil a compreensão de que apesar de ambos lidarem com os bichos, o primeiro trata a saúde, enquanto que o segundo, cuida dos números relacionados a eles.

 

Emagrecido e preparado para ouvir maledicências, não se espante se, ao se aproximar daquela roda de gente conversando, logo alguém começa a discorrer sobre a AIDS, a pedofilia e tudo o mais que não presta, descoberto recentemente a seu respeito.

 

Negadinha é fogo.

 

Entretanto, apesar dessas más vibrações, o ex-baleia jamais deve deixar de praticar os exercícios que o trouxeram ao mundo dos normais.

 

Mesmo porque depois que o cara pega gosto pela atividade física, não fica sem vivenciar essa prática tão benéfica para a saúde das pessoas.

 

Portanto, meu amigo, minha amiga e senhoras donas de casa: se você está fazendo a coisa certa não se preocupe com o zum-zum dos bobocas que não sabem o que dizem.

 

A eles não restaria alternativa do que a de pagarem pelos malefícios que causaram com o inconsequente uso da língua viperina. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:30