Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Situação probatória

por Fernando Zocca, em 09.01.14

 

 

 

Segunda-feira geralmente é o dia do mau humor. Neste período da semana é mais comum ouvir reclamações, queixas, zumbidos, e muita, mas muita maledicência.

 

Explica-se o fenômeno por serem os dias precedentes - sábados e domingos - os momentos em que uma grande parte da população dedica-se aos divertimentos fazendo festas, churrascos e bebedeiras causadoras das ressacas imensas, responsáveis pelos comportamentos antissociais.

 

Acredita-se que seja a sexta-feira, ao contrário das segundas, o dia mais feliz, por conter as expectativas do final do expediente, e a possibilidade mais próxima dos encontros com os amigos para os festejos costumeiros. 

 

O zunzunzum-grave-queixoso torna-se mais intenso quando à tal ressaca, além do álcool e do tabaco, soma-se o uso das drogas ilícitas.

 

Dai, meu amigo, da mesma forma que as enchentes, com suas águas turvas, avassala o território invadido, o resultado das intoxicações domina as ações dos indivíduos, conduzindo-os às  reprováveis atitudes danosas.

 

Você pode até ficar encafifadíssimo com o gosto, e os possíveis efeitos nocivos do arroz feito naquela velha panela elétrica ganha de presente, mas pode ter a certeza de que seus males chegarão antes se se dedicar aos condenáveis hábitos intoxicativos.

 

Os ressentimentos são mais intensos nos prisioneiros dos vícios. O comum entre o beber compulsivamente tirando o indivíduo da chamada normalidade, e o comer demais, que exagera as dimensões das pessoas, é a ingesta desmedida.

 

A responsabilização de alguém como o causador do seu estado atual, e a busca da sua destruição, pode ser o resultado das conclusões obtidas sob os efeitos das intoxicações. 

 

Não é verdade? 

 

Os especialistas garantem que menos pinga ruim poderia até melhorar o clima no mundo. Sim porque se a grande massa adoradora, consumidora desse produto, bebesse uísque, não haveria necessidade de tanta cana plantada e muito menos os incêndios feitos para a colheita dela.

 

Não é verdade? 

 

Sob os efeitos malignos da intoxicação criam-se e se propagam os boatos, as calúnias, ocorrem as relações incestuosas com todas as suas consequências.

 

Não é verdade? 

 

Mesmo que o garanhão não possa "dar bobeira", a multiplicidade dos parceiros sexuais, na humilde residência, pode ser um desafio a mais, naquela importante situação probatória.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:04