Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Retardatários

por Fernando Zocca, em 26.06.15

 

 

 

 

 

Muitas coisas, mas muitas coisas mesmo, mudaram de uns tempos pra cá.
Esse fenômeno é comum, natural; esquisito seria se isso não acontecesse.
Por exemplo: há algum anos passados não era admissível a permanencia dos cães nas ruas. Quando a administração percebia, fazia entrar em ação a temível "carrocinha" capturadora dos animais.
As crianças que deixavam seus cachorros pelas calçadas desesperavam-se e, esgoelando, corriam atrás dos capturadores, objetivando a soltura dos bichos.
Muitas vezes não tinha choro, nem vela. A cachorrada virava sabão. E o fato servia de lição para os que quisessem ter animais de estima, não se importando, entretanto, em deixá-los abandonados nas vias.
O tempo passou e hoje os cachorros dominam os quarteirões. Há quem mantenha ração e água defronte suas casas para o sustento dos bichos que, inclusive, dormem ao relento.
O pedestre precisa ter o cuidado para não ser atacado pelas feras e também ser delicado ao afastar as investidas, porque pode vir a se complicar sob o pretexto dos maus tratos aos animais.
Outra novidade, que encontra resistência no entendimento de algumas pessoas, é a validade dos alimentos.
O pessoal mais antigo, quando notava carunchos no arroz ou feijão, expunha-os ao sol depois do quê julgavam bons para o consumo.
Mas a mudança mais sensível foi a da não permissão do trabalho infantil.
Indignados com o que veem hoje muita gente exclama: "imagine só... No meu tempo de criança eu tinha de trabalhar pra ajudar em casa... Hoje essa criançada vive pelas praças sem fazer nada, cometendo barbaridades contra os outros..."
Se esse pessoal tem dificuldade para perceber, aceitar e adotar as mudanças comportamentais, imagina o grau de estranheza que causaria a visão da utilidade dos computadores, telefones celulares e tablets.
A indignação dos retardatários da compreensão não impedirá o avanço das mudanças.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:15


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.







subscrever feeds