Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O idiota endinheirado

por Fernando Zocca, em 26.11.13

 

 

Um idiota com dinheiro prejudica muita gente. Principalmente se ele apoia e tem o apoio de governos corruptos.

 

Então os artifícios de contaminar as caixas d´água e caprichar nos herbicidas cancerígenos das verduras das vovozinhas nas periferias são procedimentos corriqueiros.

 

Não pode causar estranheza (ele não quer que cause) quando o idiota endinheirado diz que é brincadeira - costume dele, da sua família e dos seus amigos - o espancamento dos indigentes caídos defronte a porta da sua casa.


O idiota endinheirado aparece sempre muito bem vestido nas reuniões consideradas maçantes por ele. Faz questão de exibir o carro que ninguém tem e acha muito normal a corrupção nas instituições públicas.


Geralmente esse tipo não passou da 4ª série do antigo ginasial nem conseguiu qualquer título, mesmo sendo daqueles do Madureza.


A sua sorte é ter parentes entranhados no serviço público, donde tira a riqueza para impor as maldades insanas.

 

O idiota endinheirado é formado com a mentalidade daqueles pensamentos mágicos. isto é, ele crê - por exemplo - que se, durante um tempo longo de estiagem, dançar de uma determinada maneira, haverá chuva.

 

O idiota endinheirado não gosta de quem estuda ou lê muito. É que seu domínio sobre os outros pode estar comprometido quando o tal professor procura explicar racionalmente os fenômenos e as coisas do dia a dia.


Há tipos de idiotas endinheirados que adoram fazer fofoca. Geralmente são idosos aposentados que não conseguem ver maior felicidade do que o envenenamento e a morte das velhinhas vizinhas com o uso dos herbicidas cancerígenos nas folhas das verduras.


Para o idiota endinheirado qualquer deslize ou escorregão serve como pretexto para merecer todo o seu ódio e a satisfação da necessidade de matar.


O idiota endinheirado não brincou quando era criança. Foi obrigado a trabalhar. Tinha o pai alcoólatra e a mãe vítima das agressões.


O idiota endinheirado é um perigo para a sociedade civilizada. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:15

Em Melhor Hora

por Fernando Zocca, em 04.02.13

 

 

Já no finalzinho da vida Fidel Castro, o imperador perpétuo de Cuba, vendo o seu reino completamente caquético, alia-se aos norte-americanos e tira Hugo Chaves de cena.


O presidente Hugo, que por manobras mil, tornava-se mais um déspota latino-americano, armava seu país com fuzis, tanques, canhões, aviões e navios, comprados da Rússia, sob os olhares angustiados de Washington.


Mas como o tio San se livraria do "libertador" venezuelano, se a economia norte-americana dependia do petróleo dos hermanos?


Não teria chegado em melhor hora o tal câncer na região da "virilha' do senhor presidente. E nem teria sido tão providencial a medicina praticada em Cuba.


Para o alívio do Tio Sam, Chaves ainda continua fora dos palcos políticos e são tênues as esperanças de que possa realmente voltar.


A hegemonia de Washington, nas Américas, ainda é incontestável. Só mesmo a produção industrial da China pôde balançar o poderio norte-americano no setor.


Entretanto a história é testemunha de que os norte-americanos usufruem do desenvolvimento pleno, dos prazeres, do progresso e da vida luxuosa, quando a fabricação de material bélico é incrementada, pelas intervenções militares ou guerras em outros países.


A produção cultural ianque penetra vigorosamente nas culturas alienígenas, produzindo transformações geradoras de conflitos, não raras vezes mortais.


Entretanto, com a disseminação das fábricas de automóveis, aviões e computadores por todo o mundo, especialmente no oriente, pode-se dizer que os Estados Unidos não são mais aquele.


Tentando resolver a questão da extensão dos planos de saúde pública a todos os cidadãos, o controle da venda de armas, Obama aumenta a carga de impostos a serem pagos pelos mais ricos.


Questões internas entretem a atenção dos eleitores até que um grande conflito armado externo, polarize as forças produtivas da famosa indústria norte-americana de armas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:35

Frustrando Expectativas

por Fernando Zocca, em 22.05.12

 

 

De vigaristas vigarices e o mundo está cheio. Na verdade o que todo mundo quer é “vender o seu peixe”, e isso inclui balelas fabulosas.

Houve um tempo em que o ovo era considerado um dos maiores vilões, capazes de causar a obesidade e as consequentes doenças venosas e cardíacas.

Hoje em dia não se condena mais o uso dos ovos, mas o óleo ou a gordura com que ele é preparado.

Agora nos aparece a indústria farmacêutica ofertando hormônios para uma população de idosos cada vez mais numerosa.

Há opiniões de que os hormônios combinados com o tabaco produziriam o câncer, da mesma forma que o uso desses medicamentos poderia cancerizar tecidos, causar a calvície e acirrar o aparecimento de centenas de efeitos colaterais.

Na verdade a produção industrial, o consumo e a interferência nos hábitos da população, seriam os verdadeiros determinantes da “criação” de algumas doenças, seus prognósticos e terapêuticas.

Está certo não desejar ofender as pessoas falando só a verdade. Mas mentir descaradamente também não faz tanto bem. Ainda mais quando se usa a mentira para engambelar o povo, principalmente nas questões das finanças públicas.

Nesse sentido veja que não é incomum a criação de expectativas, com as suas decepções, previamente delineadas.

Quando um governo frustra as expectativas dos seus eleitores, geralmente ocorre a reciprocidade. Às vezes o eleitor devolve a decepção votando em outro.

Se o governante não cumpre o contrato com a população, esta pode até não cumprir com a sua parte, por exemplo, não pagando os impostos.

Mas cabe ao Poder Judiciário a decisão sobre as avenças frustras, desde que, é claro, estas lhes sejam levadas ao conhecimento.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:39






subscrever feeds