Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Conferência São Judas Tadeu regulariza situação

por Fernando Zocca, em 31.07.12

A Conferência São Judas Tadeu do Conselho Particular Centro, da Sociedade São Vicente de Paulo, em Piracicaba SP, reuniu-se hoje às 19h30m, na escola paroquial, para dentre outros assuntos, regularizar por meio do voto, a situação da diretoria, uma vez que a atual ocupa o cargo há mais de seis anos.

Segundo a Regra da Sociedade São Vicente de Paulo, o prazo de gestão é de apenas dois anos, tendo a diretoria, comandada pelo confrade Salvador Venit sido eleita em 02 de outubro de 2006 e portanto, excedendo irregularmente o prazo por mais de quatro anos.

Estiveram presentes os confrades Josué Galani, Lázara Cristina Sorsen (presidente do Conselho Particular Centro), Sõnia Boschetti Frias, Ricardo Alves, Elder Wilhians Rossi, Maria Stela Pereira, Maria Carmem Penteado Alonso, Antenor Elias Júnior, Olívio Alonso, Guilherme Moraes Quitolino, Luis Carlos  Pasquot, José Francisco Ambrozano, Salvador Venit e João Batista Forti.
 
Depois de tratados os assuntos usuais da entidade, durante a palavra livre, realizou-se o pleito tendo o confrade José Francisco Ambrozano, candidato único, recebido oito votos.

A presidente do Conselho Particular Centro Lázara Cristina Sorsem, responsável pela aferição das cédulas, contou também os votos obtendo o resultado final.

O presente pleito teve por objetivo a adequação da situação irregular da Conferência ao regulamento da entidade.

Na prática a presidência vinha sendo exercida mais por José Francisco Ambrozano do que por Salvador Venit.

A posse do recém-eleito ocorrerá na próxima reunião (06/08) quando começará também o termo inicial da sua gestão.

Ambrozano escolherá o tesoureiro e o secretário que comporão a sua diretoria.
 
O grupo que conduziu os trabalhos até a presente data foi eleito no dia 02 de outubro de 2006 e era assim constituído: Salvador Venit (José Francisco Ambrozano), presidente; Fernando Antônio Barbosa Zocca, secretário e Antenor Elias Júnior, tesoureiro.

O blog monitornews  e seu responsável Fernando Antônio Barbosa Zocca deseja aos eleitos e aos demais confrades, uma boa gestão norteada pela prática da caridade. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:53

A Rotina da Cidade

por Fernando Zocca, em 05.06.12

 

 

Cena 01/interior/dia

Fechado dentro do seu gabinete, na câmara municipal, o vereador presidente da casa está nervoso. Aflito ele olha pro filho que espera dele uma solução.

Vereador:

- Noi precisamo fazê arguma coisa. Assim não dá mais. Assim não pode.

Filho:

- O que noi vai fazê pai?

Vereador:

- Tá sujeira. Negadinha já tá sabendo que noi robamo os notebook e parte do dinheiro da merenda escolar.

Filho:

- Mas e dai? O que noi vai fazê?

Vereador:

- Vamo fazê uma simpatia.

Filho:

- Como assim, pai?

Vereador:

- É. A coisa tá suja. Noi precisa limpa tudo. Noi precisa de muito sabão e detergente. Vamo fazê o seguinte: hoje à noite noi vai alivià a fábrica de sabão do João Mané. Noi vai carrega o que for possível e depois noi vende esse produto lá em Minas. Quem sabe dá certo.

Filho:

- Será, pai?

Vereador:

- É craro. Convide seu irmão e seu primo pra noi fazê o serviço hoje a noite. Falô?

Filho:

- Falô, pai.

 

Cena 02/interior/noite

O vereador, seus dois filhos e um sobrinho, colocam caixas de detergente e sabão dentro de um carrinho de mão, que pretendem levar pra caminhonete, estacionada nas sombras do estacionamento interno da fábrica.

Vereador:

- Vamo rápido, molecada. Chega de sujeira.

O filho:

- Num sei não, pai. Acho que vai melar.

Vereador:

- Melar nada. Roubar todo mundo rouba.

O sobrinho:

- Tio, acho que o caldo vai engrossar. Parou um carro ali fora. Deve ser os home.

Vereador:

- Será?

 

Cena 03/exterior/noite

Dois agentes da Guarda Municipal saem da viatura apontando suas armas.

Guarda Municipal:

- Estejam todo mundo presos.

Filho:

- Eu num falei, pai?

Vereador falando baixo:

- Que nada. Eles aceita um mimo.

Guarda:

- Negativo inoperante. Conosco ninguém podosco. Vai todo mundo em cana.

Chega mais uma viatura da polícia. Os guardas algemam e colocam os presos dentro do camburão.

 

Cena 04/Exterior/dia

Um grupo de homens reunidos na praça comentam as últimas notícias sobre a prisão do presidente da Câmara Municipal.

Velho de cabelos brancos:

- Mas que vergonha! A gente votamos nesses caras e olha aí no que dá. Tá vendo só?

Velho de cabelos pretos, paletó e um jornal na mão:

- Esse assunto não compete a nós. Isso é coisa de armação política. Eles que se entendam. A gente não tem nada com isso.

Silêncio geral. O grupo se dispersa. No rádio a notícia de que o juiz concedeu o alvará de soltura para os presos, traz de volta a rotina da cidade.

 

Zoom da câmera no relógio da matriz que faz soar as doze badaladas do meio-dia.

 

Fim.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:38