Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Violência contra vizinho

por Fernando Zocca, em 24.11.11

 

 

                 

Acabei de receber, nesse exato momento, 10h30min deste dia 24/11, quinta-feira, a visita de duas moças vindas num carro oficial da polícia.

       Uma delas me pediu os meus documentos informando-me que investigavam uma denúncia pelo 181, de que eu estaria  exibindo minha genitália para crianças da vizinhança.

       Quando informei à agente que era uma denunciação caluniosa, ela me respondeu que podia ser coisa de vizinho.

       Eu não duvido nenhum pouco que seja mais uma “aprontada” de pessoas desprovidas de qualquer civilidade.

       Nessa Rua Napoleão Laureano fomos atacados por Gabriel Donizete Bottene Harder, Daniela Cristina Leandro e Carlos Augusto Bottene Harder, numa confusão por eles mesmos arrumada.

       No dia 27 de Dezembro de 2007 o pai do Gabriel Donizete, Carlos Augusto Bottene Harder (foto), nos atacou à tijoladas, na esquina das Ruas Fernando Febeliano da Costa com a Napoleão Laureano.

       Apesar de tudo isso, as ofensas e agressões não cessam. Numa funilaria vizinha da minha casa, de propriedade da viúva do Carlos Augusto, Ana Maria Gandelini Harder, pessoas simulando trabalhar, lançam diariamente tinta no ar, obrigando-nos a manter as janelas fechadas.

       Essas pessoas têm parentes que trabalham na Esalq e apesar de serem alertadas das nocividades, incivilidades e uso irregular de imóvel nada fazem para adestrar corretamente os violentos.

      

       

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:13

O Mínimo Bom Senso

por Fernando Zocca, em 11.11.11

 

 

 

               Outro dia, ao passar por uma rua, vi um jovem magro, sem camisa, de calças compridas, boné rústico na cabeça e sapatão desses de pedreiro nos pés. Ele parecia aflito saindo de casa muito apressado.

       É sabido que a subnutrição seja o resultado da falta de informação, da carência financeira e também da política direcionada exclusivamente ao desenvolvimento material da cidade.

       Apesar de muito magro e nervoso, o jovem entrou no carro, estacionado defronte sua casa, indo logo em seguida, para o bar perto da esquina.

       Você já pode imaginar o resultado da combinação do desconhecimento dos sinais de trânsito com o álcool, mais a impulsividade do motorista.

       Mas como assim? Perguntaria o meu querido leitor. Como alguém dirigiria automóveis sem ter a noção do que significa cada placa de trânsito, existente nas ruas?

       Pois ainda há alguns, que se sentindo amparados por parentes influentes, amigos complacentes e muita certeza na impunidade, contrariam todas as determinações legais aventurando-se a transitar sem ter a habilitação para isso.

       Para conhecer o significado dos sinais das placas das vias de circulação, o motorista deve ter frequentado as aulas nas autoescolas. Mas para isso é preciso conhecer o alfabeto.

       Isso quer dizer que o sujeito que não sabe ler não pode ter a carta de motorista? Veja que poder ele não pode, mas não é isso o que acontece na prática.

       Está bem claro que os acidentes causadores de mortes e lesões corporais gravíssimas, são provocados por condutores embriagados ou despossuídos do mínimo bom senso.

 

MUDANDO DE ASSUNTO:

Quem não se lembra do Rin-tin-tin?

Era uma série de aventuras produzida pela TV norte-americana entre o final dos anos 50 até meados dos anos 60.

Particularmente eu assistia quando era criança. Naquele tempo a TV era ainda em preto e branco. Veja no vídeo abaixo como era a abertura dos filmes. 

   

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:58