Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Posts recentes






Lotado

por Fernando Zocca, em 09.10.14

 

Você sabe que mantive no ar por mais de cinco anos o blog monitornews, fundado no dia 1º de abril de 2006.

Ele foi o veículo de mais de 1000 publicações; sua capacidade original não suportava mais nem uma vírgula, sem que houvesse a eliminação dos textos mais antigos.

Eu relutava em apagar as matérias anteriores até que no dia 30 de setembro ele foi cruel e irremediavelmente defenestrado do portal Terra.

Dentre os fatos interessantes, que aconteceram durante estes anos todos, eu me lembro que nas eleições de 2010 apoiamos a candidata Dilma Rousself, que veio a ser eleita presidente do Brasil.

 Ninguém que emite opinião pode dizer-se incólume às opiniões contrárias e às críticas que as acompanham. Recordo-me de alguns e-mails interessantes que recebi na ocasião. Um deles dizia mais ou menos assim: “Prezado senhor editor: gostaria de saber de quem vou receber a grana que botei na campanha do candidato a deputado federal que não se elegeu. De quem cobro os prejuízos que me deram o pangaré?”

É claro que tive o maior cuidado em responder ao missivista. Afinal além de curtir a frustração depressiva de tamanha derrota, caberia ainda ao consulente o pagamento das dívidas contraídas junto aos bancos e até aos familiares, para o pagamento dos serviços daqueles que produziram o material de campanha.

São os ossos do ofício. Coisas da vida. Paciência, fazer o quê? Quanto ao meu blog me disseram pra escrever ao Terra, ir ao judiciário ou promover o pandemônio que geralmente se espera de alguém moralmente lesado. Mas pensei bem e resolvi relevar.

 Afinal diante de quem deixou de mamar por mais quatro anos os 48 salários pagos pelo povo e ainda tem dívidas enormes a serem pagas, a perda de uns blogs até que foram salutares.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:43

Usurpação

por Fernando Zocca, em 14.07.12
Os "espertinhos" não vacilam quando o momento se apresenta favorável a um proveito, principalmente se isso causará dano a alguém.

Os tais "mais ligados" fundeados sobre premissas equivocadas, ou muita maldade mesmo, não perdem tempo  "passando a perna" no próximo.

Esse assumir o que pertence a outrem acontece em situações de herança, nos negócios, na política e também nos relacionamentos afetivos.

Não são incomuns os casos, daqueles que, movidos por ciúmes, procuram apoderar-se do afeto da mulher do próprio irmão. A história está repleta de casos assim.

Ora se a usurpação ocorre inclusive no plano da sucessão hereditária, por que não ocorreria também nos casos envolventes dos cargos de chefia e liderança?
 
Nem duvide que o egoísmo, somado a um desapreço muito forte, comporiam o combustível daqueles que tirariam até as incubências do presidente da república.

Não é preciso ir muito longe: veja o que acontece em algumas  empresas consideradas bastante sólidas e atuantes no mercado há um bom tempo. Basta atentar para o noticiário diário da mídia.

A "puxação de tapete" faz parte daquele enunciado maquiavélico de que os fins justificam os meios. Daí aparecem o tráfico de influência, a corrupção, as mentiras, o adultério e as sandices todas podem chegar até aos crimes contra a vida.

É claro que diante dessas desgraças todas mais vale o pouco com muita honra e tranquilidade do que o poder e a fortuna imensa atribulados por escândalos mil e precariedade na saúde.

Mas não é? 
  
  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:24



Posts recentes